O teste da orelhinha que também é conhecida como triagem auditiva neo-natal não dá detalhadamente o grau de deficiência auditiva que o bebê possui e, sim dá sinais de que algo não está certo acusando desta maneira que o ouvido não está normal.
A avaliação demora em média de 5 a 10 minutos através de um aparelho que imite ondas acústicas ativando as áreas do ouvido, se o ouvido do bebê estiver normal eles produzirão emissões otoacústicas.
É necessário que o exame seja feito quase de imediato e principalmente em bebês prematuros. O teste é indolor e não tem contra-indicação, não causa nenhum desconforto, e é de extrema importância para a vida social de seu filho.
Este exame deve ser repetido quando a criança estiver na fase pré-escolar, pois algumas desvantagens de aprendizagem na escola pode estar associada a uma deficiência auditiva.
O teste da orelhinha é marcada pela maternidade logo após o nascimento do bebê, caso não ocorra procure clínicas com especialistas em otorrinolaringologia que podem te encaminhar a fazer o teste.
O exame é interpretado pelo médico que dará seu parecer caso as emissões otoacústicas estiverem presentes significa que o exame está normal, se apresentar ausência isso significa que haja uma deficiência auditiva ou até mesmo uma imaturidade no sistema auditivo.
Caso seja verificado alguma anormalidade o bebê será encaminhado para uma avaliação otológica e auditiva mais complexa.
Alguns fatores de risco para a surdez;

– Histórico familiar
– Hiperbilirubinemia ( doença que aparece 24 horas após o parto chamada também de bilirrubina), neste caso dá-se banho de luz.
– Medicações Ototóxicas
– Meningite Bacteriana
– Vetilação mecânica UTI neonatal por mais de 5 dias
– Alterações genéticas ( Síndrome de Down ou Waldemburg)
– Infecção intra uterina

Fique atenta e não deixe de fazer!